Hoje em dia, é cada vez maior o número de pessoas que se submete a cirurgias plásticas. Como consequência, é frequente a existência de fibroses e aderências, traumas tecidulares que surgem praticamente em todos os utentes submetidos a algum tipo de cirurgia. Se as fibroses e aderências não forem combatidas de forma correta, poderão compremeter o resultado final da cirurgia, causando dores, retrações e limitações funcionais associadas ao estado dos tecidos.
Nos últimos anos, tem havido uma evolução crescente no tratamento de tecidos cicatriciais. Pesquisas recentes realizadas na University of Vermont College of Medicine (Canadá), propõem uma nova abordagem de tratamento que favorece a remodelação e a reorganização tecidular, facilitando uma melhoria metabólica e da mobilidade e favorecendo, também, uma melhoria ao nível linfático. Esta abordagem consiste na aplicação de tensões mecânicas aos tecidos, que é aplicada neste curso de Terapia Manual que engloba a LTF (Libertação Tecidular Funcional), desenvolvida por Mariane Altomare na sua prática clínica e alvo de investigação. Uma correta avaliação e aplicação de técnicas de Terapia Manual tem o principal objetivo de facilitar a reorganização tecidular, levando a uma melhoria funcional do utente no período pós-cirurgia plástica.

MARIANE ALTOMARE

 

  • Licenciada em Fisioterapia pelo Instituto Brasileiro de Medicina da Reabilitação (Brasil)

  • Especialização em Fisioterapia Dermatofuncional pela Universidade Castelo Branco (Brasil)

  • Mestre em Biologia Humana e Experimental pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Brasil)

  • Investigadora no Laboratório de Reparação Tecidular da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, na linha de pesquisa de tensão mecânica e reparação tecidular

  • Membro da Fascia Research Society

  • Coordenadora da Câmara Técnica de Fisioterapia Dermatofuncional do Crefito 2 (Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional do Estado do Rio de Janeiro)

  • Membro da Comissão de Ética e representante do Rio de Janeiro na ABRAFIDEF (Associação Brasileira de Fisioterapia Dermatofuncional)

  • Colaboração como professora visitante em diversas universidades brasileiras (Universidade Castelo Branco, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Universidade Gama Filho, entre outras).

  • Formadora em cursos de formação contínua de Fisioterapia Dermatofuncional no Brasil, Chile, Argentina e México, entre outros países

  • Prática clínica em consultório privado

  • Fisioterapeuta e coordenadora do Serviço de Fisioterapia Dermatofuncional do Instituto Ivo Pitanguy (Rio de Janeiro, Brasil), referência mundial na área da Cirurgia Plástica

Atualizar o fisioterapeuta no conceito do controle do ambiente mecanobiológico dos tecidos através de terapia manual, que pode ser utilizado em várias situações, como terapia isolada, nos casos de aderências e fibroses causadas por traumas direto na fáscia superficial (subcutâneo), como ocorre em alguns tipos de cirurgias plásticas estéticas e reparadoras, ou em associação com outras técnicas manuais quando os tecidos adjacentes à músculos/articulações/ligamentos/tendões encontram-se acometidos por alguma restrição, afetando diretamente ou indiretamente a funcionalidade e a mobilidade.

  • Principais cirurgias plásticas e seu mecanismo.

  • Biologia tecidular – Tecidos conjuntivos e a importância da matriz extracelular.

  • Reparação tecidular normal e alterada e a formação de fibrose.

  • Tecidos cicatriciais: neurofisionlogia e mecanobiologia e suas diferenças metabólicas.

  • Miofibroblastos e seu papel no metabolismo tecidular.

  • Terapia Manual: forças Mecânicas e sua atuação no metabolismo tecidual - Fundamentação teórico prática da ação da terapia manual; princípios e conceitos; Neurociência e Terapia Manual.

  • Terapia manual manuais aplicadas/adaptadas aos tecidos cicatriciais: Libertação Tecidular Funcional; mobilizações mioarticulares e fasciais, exercício terapêutico.

  • Educação terapêutica baseada em neurociência para otimização de resultados e controlo da dor pós-operatória.

  • Utilização das ligaduras elásticas como coadjuvantes na aplicação das forças mecânicas: tape compressivo (prevenção e tratamento de seromas, edemas e equimoses) e para controle das forças extrínsecas adjacentes às cicatrizes. 

  • O papel do paciente no processo de reabilitação: Educação terapêutica para otimização de resultados e controle da dor.

  • Como divulgar o trabalho da fisioterapia para o cirurgião plástico.

  • Raciocínio clínico: Discussão de casos clínicos.

  • Evidência científica. 

23, 24 e 25 de novembro de 2018

09h às 18h

Fisioterapeutas

24 vagas

Centro de Formação da Formaterapia | Grande Lisboa

Urbanização Quinta da Parreirinha

Rua Amália Rodrigues, 24, 2º Dto. 

2695-063 Bobadela

340€ (inclui manual do curso, certificado DGERT e 6 coffee breaks)

Pagamento de 100% no ato da inscrição ou em duas prestações de 50%: a primeira aquando da inscrição e a segunda até uma semana antes da data de realização do curso. No caso de pretender sugerir um plano de pagamento alternativo, envie-nos um email para info@formaterapia.com.

 

O critério de seleção dos candidatos é a ordem de receção das inscrições.

A sua inscrição só será válida se nos enviar o comprovativo de pagamento e a cédula profissional/diploma de curso.

No caso de desistência, o valor pago apenas será reembolsado no caso da vaga ser preenchida.

A Formaterapia reserva-se o direito de cancelar o curso no caso de não obter um número mínimo de inscrições.

A realização do curso será confirmada na semana seguinte à do termo do prazo de inscrições.

Política de Privacidade

Termos e Condições

Regulamento de Formação