A insuficiência ventilatória em doentes neuromusculares (DNM) é causada pela hipoventilação central ou disfunção da musculatura respiratória e consequentemente alteração da caixa torácica. A progressão das complicações respiratórias para insuficiência respiratória crónica nos DNM surge em geral como consequência direta de dois principais fatores: fraqueza, contractura ou miotonia dos músculos respiratórios e desobstrução brônquica ineficaz. Este quadro clínico pode levar a atelectasias, pneumonias e insuficiência respiratória aguda. A sintomatologia surge inicialmente durante o sono e posteriormente durante o dia. A morbilidade e mortalidade dos DNM são uma consequência direta de uma assistência ineficaz aos músculos inspiratórios e expiratórios. Essa assistência inclui técnicas manuais e/ou mecânicas que promovem uma ventilação adequada, bem como uma expansão pulmonar e tosse eficaz.

Os músculos inspiratórios e expiratórios podem ser auxiliados por dispositivos e técnicas que envolvem a aplicação manual ou mecânica de forças ao corpo ou variações de pressão intermitentes nas vias respiratórias auxiliando a função dos mesmos. A pressão negativa aplicada às vias respiratórias durante a expiração ou tosse auxilia os músculos expiratórios ocorrendo uma  exsuflação forçada, tal como a pressão positiva aplicada às vias respiratórias durante a insuflação (ventilação não invasiva) auxilia os músculos inspiratórios.

Os objetivos de intervenção terapêutica respiratória em DNM são manter a elasticidade pulmonar e da parede torácica e promover um crescimento normal dos pulmões e parede torácica nas crianças pelo uso de técnicas de expansão pulmonar e parede torácica. Para além disso, torna-se fundamental manter a ventilação alveolar normal diurna e maximizar os fluxos de tosse. Os objetivos a longo prazo são impedir episódios de insuficiência respiratória aguda e infeções respiratórias, evitar internamentos hospitalares e prolongar a sobrevivência sem recorrer a traqueostomia. Todas as estratégias de tratamento devem ser apresentadas e discutidas com os doentes e seus familiares. Todos os objetivos acima descritos podem ser alcançados através de uma avaliação eficaz do paciente e formação especializada da equipe, cuidadores e paciente tanto a nível hospitalar como domiciliário. É muito importante que o paciente seja acompanhado por uma equipa multidisciplinar e que esta seja capaz de desenvolver um bom acompanhamento domiciliário contribuindo para a qualidade de vida do paciente, sendo uma peça chave na prevenção de infeções e recorrentes internamentos.

Hoje em dia, com as diversas modalidades ventilatórias, a grande variedade de interfaces (máscaras, peças bucais etc..), as técnicas de fisioterapia respiratória e de insuflação pulmonar, bem como de tosse assistida ao serviço dos doentes neuromusculares, não há razão para que o doente neuromuscular sofra de problemas respiratórios.

  

MIGUEL R. GONÇALVES

  • Fisioterapeuta especialista da Unidade de Fisiopatologia Respiratória e Ventilação Não Invasiva - Serviço de Pneumologia; Serviço de Urgência e Medicina Intensiva, Centro Hospitalar Universitário de S. João. Porto.

  • Responsável pela consulta de Fisioterapia Respiratória/Ventilação Domiciliária do Serviço de Pneumologia do Centro Hospitalar Universi- tário de São João, Porto.

  • Fellow of “The Center for Noninvasive Ventilation and Pulmonary Rehabilitation of the University of Medicine and Dentistry of New Jersey, USA” sob a orientação e responsabilidade do Professor Doutor John R. Bach.

  • Doutorado pela Faculdade de Medicina da Universidade do Porto.

  • Professor Associado convidado da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto.

  • Professor de Programas Doutorais da Universidade do Porto e de vários cursos de Mestrado nacionais e internacionais.

  • Membro integrado do Instituto de Investigação e Inovação em Saúde (I3S) da Universidade do Porto (Laboratório Associado da FCT).

  • Membro do College of Experts da European Respiratory Society desde 2014.

  • Editor temático (Fisioterapia Respiratória) da Revista Portuguesa de Pneumologia.

  • Revisor convidado de várias revistas internacionais indexadas com índice de impacto, que inclui: Intensive Care Medicine, American Journal of Respiratory and Critical Care Medicine, European Respiratory Journal, British Medical Journal, American Journal of Physical Medicine and Rehabilitation, Respiratory Care, Respirology, Respiratory Medicine, CHEST, Journal of Neurologic Sciences, PLOS ONE, Journal of COPD, J Clinical Case Reports, entre outros.

  • Autor e co- autor de vários capítulos de livros e de mais de 60 artigos relacionados com Ventilação Mecânica Não Invasiva e Fisioterapia Respiratória publicados em revistas científicas peer-reviewed indexadas internacionais com alto factor de impacto.

  • Moderador e Preletor convidado em cerca de 400 conferências em Congressos científicos e cursos teórico-práticos em 32 países (Europa, América do Norte, América do Sul, Asia, África e Austrália).

  • Formador na área da Ventilação Mecânica Não Invasiva em contextos agudos e crónicos em vários cursos de referencia promovidos pela Sociedade Portuguesa de Pneumologia, Sociedade Portuguesa de Cuidados Intensivos, European Respiratory Care Association (ERCA) e European Respiratory Society (ERS)

  • Ao longo da sua prática clinica foi responsável pelo estudo e introdução em Portugal de várias técnicas para os doentes ventilados, nomeadamente a tosse mecanicamente assistida (CoughAssistTM), a Oscilação Extra-Torácica de Alta Frequência (The VestTM), a ventilação não invasiva por peça bucal, e o uso da ventilação não invasiva durante a deambulação, entre outras.

  • Em conjunto com a equipa do serviço de Pneumologia do Centro Hospitalar de São João, desenvolveu e introduziu em Portugal novos protocolos de avaliação e intervenção na área da Ventilação Não Invasiva em doentes crónicos, nomeadamente na abordagem da disfunção ventilatória em doentes neuromusculares e na organização dos cuidados respiratórios domiciliários.

  • Em conjunto com a equipa do serviço de Medicina Intensiva do Centro Hospitalar de São João, desenvolveu um protocolo de prevenção da falência ventilatória pós extubação e protocolos de retirada de traqueostomia em doentes críticos com disfunção dos músculos respiratórios, associando a Ventilação Não Invasiva á tosse mecanicamente assistida.

TIAGO PINTO

  • Fisioterapeuta em contexto hospitalar no Centro Hospitalar São João, no Serviço de MFR (desde 2005) e Unidade de Fisiopatologia e Ventilação do Serviço de Pneumologia, (desde 2006);

  •  Mestrado em Fisioterapia – Especialidade Fisioterapia Cardio- Respiratória da Escola Superior de Tecnologia da Saúde do Porto (2009-10);

  • Doutorando em Fisioterapia – Faculdade de Desporto da Universidade do Porto.

  • Participação em dezenas de Congressos/Jornadas/Cursos a nível nacional e internacional na área da Fisioterapia Respiratória;

  • Autor de inúmeros trabalhos científicos apresentados em Congressos e Jornadas, a nível nacional e internacional na área da Fisioterapia Respiratória sob a forma de Poster e Comunicações Orais;

  • Palestrante Convidado em vários Congressos/Jornadas/Cursos e Workshops a nível nacional e internacional na área da Fisioterapia Respiratória;

  • Formador Convidado de vários Cursos a nível nacional na área da Fisioterapia Respiratória.

  • Autor e co-autor de artigos publicados (>10) em Revistas nacionais e internacionais;

  • Tesoureiro da APF-Região Norte (2006-2013);

  • Presidente da Mesa da Assembleia Geral do Grupo de Interesse em Fisioterapia Cardio-Respiratória da APF (2010-2014);

  • Membro da Presidência do Grupo de Interesse em Fisioterapia Cardio-Respiratória da APF (2014-2015). 

  • Prática privada em contexto domiciliário.

LUISA SOARES

  • Licenciada em Fisioterapia pela ESTS Porto.

  • Pós graduação em Fisioterapia Respiratória pela Universidade Atlântica.

  • Pós graduação em cuidados paliativos pela Faculdade de Medicina da Universidade do Porto.

  • Fisioterapeuta especialista da empresa de cuidados respiratórios Linde Saúde, onde integra a equipa Linde REMEO, de especial dedicação a doentes ventilados graves no domicílio.

  • Autora e co-autora de diversos trabalhos de investigação apresentados em congressos nacionais e internacionais.

  • Formadora Convidada de cursos a nível nacional na área da Fisioterapia Respiratória.

  • Co-autora de 2 artigos publicados em revistas internacionais com factor de impacto, na área da fisioterapia respiratória e suporte ventilatório.

O objectivo deste curso é ministrar conhecimentos teóricos e práticos sobre cuidados respiratórios e suporte ventilatório em utentes com doenças neuromusculares.

No final do curso, os formandos terão um conhecimento aprofundado sobre estratégias de avaliação e intervenção ao nível da disfunção respiratória de utentes com doença neuromuscular.

Os formandos atingirão os seguintes objetivos de aprendizagem:

  • Conhecimento de modelos atuais de intervenção para a resolução da disfunção respiratória dos formandos, através da aprendizagem e desenvolvimento de novos protocolos a aplicar em contextos agudos (emergência e cuidados intensivos) e crónicos (consulta de ambulatório e domicilio). 

  • Aquisição de conhecimento sobre novas técnicas de avaliação e intervenção, levando à melhoria dos cuidados de saúde dos pacientes neuromusculares.

  • Conhecimento sobre modelos de implementação de estratégias de prevenção da falência respiratória e manutenção da estabilidade geral, com o intuito de atingir uma melhoria da qualidade de vida dos pacientes neuromusculares (e seus cuidadores).

  • Conhecimento de novos protocolos de emergência a aplicar nos hospitais pelos profissionais e, em casos especiais, pelos cuidadores no domicílio, levando à melhoria da sobrevida dos pacientes neuromusculares.

  • Conhecimento sobre evidência científica atual nesta área e sua implementação na prática clínica.

  • Doenças Neuromusculares (DNM): Características específicas e principais diagnósticos com falência ventilatória

  • Fisiopatologia da disfunção ventilatória em pacientes com DNM: Síndrome ventilatório restritivo; Hipoventilação alveolar.

  • Insuficiência ventilatória versus Insuficiência Respiratória

  • Avaliação da disfunção ventilatória em DNM

  • Características específicas do doente pediátrico com DNM

  • Interpretação de exames complementares: Pico de fluxo da tosse; Espirometria/ventilometria; força muscular respiratória (PIM, PEM, SNIP); Oximetria noturna; Gasimetria; Avaliação não invasiva do CO2; exames radiológicos; padrão respiratório, entre outros

  • Avaliação da disfunção da musculatura bulbar

  • Fisioterapia Respiratória dirigida ao doente com DNM: Técnicas de Insuflação Pulmonar, Técnicas manuais e mecânicas de manejo de secreções brônquicas, Tosse manualmente assistida, Tosse mecanicamente assistida (Insuflação/Exsuflação Mecânica)

  • Insuficiência Respiratória Aguda em doentes com DNM – Intervenção em cuidados intensivos

  • Protocolos de extubação e retirada de traqueostomia em doentes com DNM

  • Indicações da traqueostomia em doentes com DNM

  • Manejo da traqueostomia em doentes com DNM

  • Organização de uma consulta multidisciplinar para doentes com DNM

  • Suporte Ventilatório em Doenças Neuromusculares: Indicações e protocolos de atuação

  • Ventilação Mecânica Não Invasiva em Doentes Neuromusculares: Modos ventilatórios, características dos ventiladores, interfaces, acessórios e protocolos de adaptação em laboratório

  • Ajuste de parâmetros ventilatórios em doentes com DNM

  • Monitorização do doente com DNM em ventilação domiciliária; Protocolos de Telemedicina

  • Interpretação dos dados do ventilador e curvas de sincronia ventilatória

  • Complicações e efeitos secundários do suporte ventilatório em DNM.

  • Aspetos éticos e noções de cuidados paliativos do doente ventilado com DNM.

  • Casos clínicos intercativos

  • Workshops práticos (com prática entre os participantes): técnicas de Insuflação Pulmonar e Tosse manualmente assistida, técnicas mecânicas de manejo de secreções brônquicas, prática com Ventilação Não Invasiva (ventiladores, interfaces e acessórios)

  • Casos clínicos interactivos

  • Casos clínicos reais com a participação de doentes.

24, 25 e 26 de maio de 2019

09h às 19h

Fisioterapeutas e Médicos Especialistas ou em formação (Pneumologia, Pediatria, Neurologia, Fisiatria, Medicina Intensiva, Medicina Interna, entre outros), com intervenções diretas e interesse na disfunção respiratória dos doentes neuromusculares.

Centro de Formação da Formaterapia | Grande Lisboa

Urbanização Quinta da Parreirinha

Rua Amália Rodrigues, 24, 1º Dto.

2695-063 Bobadela

 

395€ (inclui manual do curso, certificado DGERT e 6 coffee breaks)

Pagamento de 100% no ato da inscrição ou em duas prestações de 50%: a primeira aquando da inscrição e a segunda até uma semana antes da data de realização do curso. No caso de pretender sugerir um plano de pagamento alternativo, envie-nos um email para info@formaterapia.com.

O critério de seleção dos candidatos é a ordem de receção das inscrições.

Os critérios de desempate são: análise curricular e frequência do curso "Introdução ao Conceito Bobath em Pediatria"

A sua inscrição só será válida se nos enviar o comprovativo de pagamento e a cédula profissional/diploma de curso.

No caso de desistência, o valor pago apenas será reembolsado no caso da vaga ser preenchida.

A Formaterapia reserva-se o direito de cancelar o curso no caso de não obter um número mínimo de inscrições.

A realização do curso será confirmada na semana seguinte à do termo do prazo de inscrições.

Política de Privacidade

Termos e Condições

Regulamento de Formação