Na prática clínica em Pediatria, os terapeutas sentem, frequentemente, o dilema de selecionar a

intervenção mais indicada para as necessidades específicas dos seus utentes. É importante que

essa seleção seja baseada numa avaliação cuidada de alterações do neurodesenvolvimento,

que permita identificar os aspetos clínicos mais relevantes em que a intervenção se deverá

focar. Há alterações relacionadas com o processamento sensorial? Com a função

neuromotora? Com capacidades cognitivas? Com alterações emocionais? A resposta a estas

e outras questões facilitará a seleção da abordagem de intervenção mais apropriada para

cada caso clínico específico.

A capacidade de avaliação sob um ponto de vista do neurodesenvolvimento, sensorial e

motor é crucial no processo de raciocínio clínico do terapeuta.

A Integração Sensorial e o Conceito Bobath são duas abordagens terapêuticas que poderão

facilitar a compreensão e intervenção ao nível dos aspetos major relacionados com alterações da funcionalidade e participação da criança.

A decisão clínica de selecionar o Conceito Bobath, a Integração Sensorial ou uma combinação de ambos requere que o terapeuta tenha conhecimento acerca das suas bases teóricas e práticas, assim como das suas semelhanças e diferenças e complementaridade na maximização de resultados clínicos.

Os conhecimentos atuais ao nível da neurociência evidenciam a crucial importância da informação aferente e das várias fases do processamento sensorial para a modulação do output motor nas crianças com alterações no desenvolvimento típico. 

A abordagem terapêutica deverá ser individualizada e direcionada para cada utente. Serão os deficits motores devidos a uma alteração neuromotora e/ou a alteração neuromotora é afetada por alterações de processamento sensorial caraterizadas por alterações de modulação, discriminação sensorial, praxis ou outras alterações sensoriais?

ANA MOREIRA

  • Licenciada em Fisioterapia pela Escola Superior de Tecnologia da Saúde do Porto

  • Mestre em Intervenção Precoce pela Faculdade de Ciências da Educação e Psicologia da Universidade do Porto

  • Doutorada em Atividade Física e Saúde pela Faculdade de Desporto da Universidade do Porto

  • Formadora Sénior do Conceito Bobath Pediátrico - Tratamento do Neurodesenvolvimento (European Bobath Tutours Association)

  • Coordenadora Nacional do TND

  • Classificadora Sénior da CP-ISRA (Cerebral Palsy - International Sports and Recreation Association) e do IPC (International Paralympic Committee) em Atletismo

  • Prática privada.

MARIA DE LOURDES TAVARES

  • Bacharel em Terapia da Fala e CESE em Ensino e Administração pela Escola Superior de Tecnologia da Saúde do Porto.

  • Mestre em Intervenção Precoce pela Faculdade de Ciências da Educação e Psicologia da Universidade do Porto.

  • Formadora Sénior do Conceito Bobath Pediátrico - Tratamento do Neurodesenvolvimento (European Bobath Tutours Association).

  • Formadora nas áreas da Comunicação Aumentativa e Alternativa e patologia da comunicação e linguagem.

  • Investigadora no âmbito de projetos nacionais e internacionais, dirigidos à utilização de tecnologias de apoio.

  • Prática privada.

JOAQUIM FAIAS

​​

  • Licenciado em Terapia Ocupacional pela Escola Superior de Saúde do Alcoitão.

  • Especialização em Intervenção precoce pela Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto.

  • Professor Adjunto na Escola Superior de Saúde do Instituto Politécnico do Porto, com funções de coordenador da Licenciatura em Terapia Ocupacional desde 1998. Título de Especialista em Terapia Ocupacional.

  • Foi Terapeuta Ocupacional no Centro de Reabilitação de Paralisia Cerebral do Porto (CRPCP) desde 1986 até ao ano de 2000 onde foi Coordenador do Serviço de Tecnologias de Apoio do Centro de Reabilitação de Paralisia Cerebral do Porto de 1995 a 2000 e Coordenador do Departamento de Terapia Ocupacional do CRPCP de 1997 a 2000.

  • Autor de diferentes publicações na área das tecnologias de apoio e da Comunicação aumentativa e alternativa para crianças e jovens com deficiência neuromota e mais recentemente, na área da implementação de modelos pedagógicos inovadores.

O objetivo deste curso é dotar os formandos de conhecimentos que lhes permitam integrar princípios do Conceito Bobath e Integração sensorial no seu raciocínio clínico, sendo capazes de implementar programas de intervenção direcionados para cada quadro clínico identificado na avaliação.

No final do curso, os formandos terão desenvolvido: 

  • Conhecimento sobre os princípios básicos de avaliação e intervenção segundo o Conceito Bobath e Integração Sensorial;

  • Capacidade de identificar aspetos chave do desenvolvimento, no contexto de movimento típico e capacidade sensorial;

  • Capacidade de raciocínio clínico e pensamento crítico que permitam a seleção de estratégias de intervenção adequadas;

  • Capacidade de identificar semelhanças e diferenças entre as abordagens de intervenção de Bobath e Integração Sensorial;

  • Utilizar uma abordagem sistematizada para desenvolver planos de intervenção baseados na obtenção de resultados funcionais;

  • Capacidade de integrar princípios do Conceito Bobath e da Integração Sensorial em utentes pediátricos com desordens neuromotoras e alterações de processamento sensorial.

  • O Conceito Bobath em Pediatria: princípios de avaliação e intervenção.

  • Integração Sensorial: princípios de avaliação e intervenção.

  • Os sistemas sensoriais e as várias modalidades sensoriais.

  • O processamento sensorial e a percepção no desempenho da criança.

  • A relação entre o Conceito Bobath e a Integração Sensorial.

  • Demonstração com criança.

  • Análise e discussão de casos clínicos.

05 de outubro de 2019 

09h às 18h

Terapeutas Ocupacionais, Terapeutas da Fala e Fisioterapeutas e alunos finalistas das respetivas licenciaturas.

40 vagas

Centro de Formação da Formaterapia | Grande Lisboa

Urbanização Quinta da Parreirinha

Rua Amália Rodrigues, 24, 1º Dto. 

2695-063 Bobadela

90€

Inclui manual do curso, certificado DGERT e 2 coffee breaks

Pagamento de 100% no ato da inscrição ou em duas prestações de 50%: a primeira aquando da inscrição e a segunda até uma semana antes da data de realização do curso. No caso de pretender sugerir um plano de pagamento alternativo, envie-nos um email para info@formaterapia.com.

 

O critério de seleção dos candidatos é a ordem de receção das inscrições.

A sua inscrição só será válida se nos enviar o comprovativo de pagamento e a cédula profissional/diploma de curso.

No caso de desistência, o valor pago apenas será reembolsado no caso da vaga ser preenchida.

A Formaterapia reserva-se o direito de cancelar o curso no caso de não obter um número mínimo de inscrições.

A realização do curso será confirmada na semana seguinte à do termo do prazo de inscrições.

O local de realização do curso poderá ser alterado num raio de 10km. Os formandos serão notificados até uma semana

antes da data de realização do curso. 

Política de Privacidade

Termos e Condições

Regulamento de Formação